Levante, lute, lute, siga sempre frente, contribua na queda do sistema e na reconstrução da ordem social moral-cívica…

Quando analiso o passado, eu sinto uma profunda tristeza… Sinto um imenso remorso por que gloriosos tempos de honra, tradição, moral e grandeza não existirá mais e, principalmente uma tristeza pelo fato de movimentos nacionais no século passado não terem conseguindo vencer a luta para manter a ordem natural da sociedade intacta. De que não foram capazes para criar um mundo para a existência de todos os povos que teria garantindo suas soberanias e direito de preservarem suas identidades étnicas, culturas e os seus valores. E o que vemos diante de nós, o que 71/72 anos de vitória dos aliados causaram? Essa anarquia no mundo, o colapso das identidades e culturas dos povos, jovens se suicidando por não suportarem o novo mundo ao seu redor, pessoas se matando por motivos pífios entre outras bizarrices… Quando vemos em nossos próprios países, a decomposição da moral, a queda das pátrias, a destruição das famílias, a destituição da ordem social; O apetite dos seres humanos por bens materiais, que substitui o sentimento de empatia e a grande chama do ideal que nos animava-nos. Ao refletir sobre isso, bem verdadeiramente, entre o lado moral e o lado degenerado… Então eu e os camaradas nacionalistas/dissidentes escolhemos o lado certo! As grandes potenciais ocidentais miseráveis, fantoches dos sionistas com seus mercados comuns medíocres, não possuem e nem querem suprir as necessidades de seus povos a não ser os interesses das elites que governam determinados países. Essa é a sociedade de consumo apodrecendo a humanidade em vez de elevá-la. Então o que sobrou da humanidade, os que se recusam a participar desse projeto diabólico universal, só nos resta lutar pela autodeterminação dos povos, pela preservação da diversidade humana tal como as diferentes culturas, as tradições, as identidades e crenças. E como um grande desejo, que esse ideal possa nascer/renascer com toda as forças dos seres humanos até o último momento de nossas vidas, pois o que é a nossa luta e nosso martírio será um dia… as revoluções!

Greve Geral de 1917 - SP

Anúncios

Globalismo, Sionismo e EUA

A globalização é o símbolo máximo da imposição forçada gostem os povos ou não do liberalismo econômico, da democracia representativa, do individualismo, do consumismo como forma de controle dos indivíduos e das nações.

Os Estados Unidos podem ser o principal nome desse projeto universal diabólico, mas também não passam de meros fantoches dos sionistas. Os EUA são uma grande potência, devido à influência que possuem sobre os países, podemos identificar como parasitismo, pois o objetivo destes imperialistas são apenas rapinar os recursos naturais alheios para garantir seu desenvolvimento sem se importar com o que pode causar no território explorado (se for preciso, os EUA criam ou financiam grupos terroristas para terem uma desculpa para intervirem num determinado país), essa é a estratégia dos donos do mundo, desestabilizar as nações, causar ondas gigantescas de terrorismo e desordem no mundo e assim apresentar uma salvação milagrosa que oficializará a hegemonia sionista como centro do mundo.

O projeto universal que citei, resultará num idioma global, a imagem de Hollywood, uma moeda única, o transhumanismo, a ONU, o hedonismo, uma suposta “correção” para acabar com as tradições dos povos, centros de compras em massa, alimentação industrializada, tudo para garantir seu domínio cultural sob o mundo.

Ainda está em tempo de lutar contra tudo isso, pois resistir é uma postura para garantir a preservação das identidades e seus espaços vitais, do valor do trabalho árduo e as tradições culturais das civilizações do mundo inteiro.

18893605_fczaP

O socialismo nacional alemão

A essência do Socialismo alemão foi em se preocupar com os pobres. O capitalismo americano estava estagnado, corroendo a maior parte dos países no mundo e principalmente com a Alemanha por causa do tratado de versalhês, e assim degradando o país germânico. Os cidadãos alemães estavam sem emprego e na extrema pobreza, o caos social e a corrupção pairava sob esse país em frangalhos. De repente chega um homem à Alemanha, Adolf Hitler. Um homem idealista, muito a frente do seu tempo, eleito pelo povo, chegando ao poder e já executando as devidas mudanças e, com isso rasgando de vez com o tratado. O Fuher garantiu a independência econômica para o país, apoiou as indústrias privadas nacionais e estatais, garantiu exploração e produção de recursos, obras públicas que fez gerar empregos, pois o Fuher se preocupava com os desempregados. Criou um espaço para o desenvolvimento da juventude alemã, a famosa campanha antitabagismo e o estatuto em defesa dos animais. Por isso o socialismo! O nacionalismo alemão garantiu o orgulho dos cidadãos alemães, incentivou-os a trabalhar e a lutar pela vossa pátria. O racialismo alemão nunca foi racista, tão pouco menosprezava todas as raças que não fossem germânicas. O racialismo idealizado pelos nacional-socialistas, tinha como o intuito de rever os valores de vossa própria raça, preservar o legado deixado por seus antepassados e queria com que os demais povos fizessem o mesmo.

#Tarcísio

photo_2017-07-07_23-23-52

a percepção do metafisico nas relações culturais

Oque tem de errado?, por que no meio em que estamos inseridos se adaptar ao cotidiano de corrupção política e moral se torna um desafio ?,talvez seja o questionamento principal ,daqueles que não aguentam mais uma situação abusiva, que se alastrou destruindo em sua frente todos atributos que tínhamos da visão do ser humano perfeito ,o ser que além de horado era sábio e guerreiro , hoje a honra não passa de um valor nulo atribuído a qualquer um que não tenha agregado a mudança nessa percepção do homem ideal que na antiguidade recebia o título de semideuses ou deuses . Mitos que construíam figuras das quais os valores mais cultuados eram sua coragem, força, inteligência e determinação foram trocados por uma figura onde sua grande representação de superação foi ter se mantido passivo perante as injustiças que lhe eram cometidas .
Figuras que antes honradas por nos oferecerem o conhecimento sagrado (Wotan,Prometheus) e cultuadas como figuras fortes de grandes fardos que seguraram pelos seu objetivos , essas mesmas figuras os que nos deram o conhecimento e nos libertaram da posição de gado e servis foram colocadas como demônios ,seres antagonistas e representações da maldade do homem(ex:lucifer).
Não nos adaptamos por que essa não foi a nossa missão ,somos os libertos e somos gratos por isso, livres de toda a ignorância que esse mundo mergulha somos aqueles que não se conformam por não fazerem parte da corrupção que nos foi imposta por meio de uma sinarquia(união de poderes) que nos tem como seres humanos aos poucos conspirado para nos tirar o resquício divino do espirito e apagá-lo para o domínio da matéria como era antes do conhecimento. -prometheus
schwarze sonne

Viver como vassalo ou viver livremente

IMG_20170726_220133

O que poderia ser mais agradável… Viver uma vida de vassalo, se ajoelhando perante os poderosos do mundo e aceitando desaforos de pessoas tão inferiores quanto uma barata? Ou você pode se esforçar ao máximo para não ter que se ajoelhar, estudar e treinar para calar a boca e o ego de quem ousar lhe desafiar e, viver num lugar calmo e puro sem a podridão da cidade grande, com sua família unida e orando aos deuses serenamente? Sem dúvidas a segunda parte é muito mais agradável. Cada ser humano poder ser no mundo material o arquiteto de seu próprio destino e vivendo uma vida saudável não tem preço. Infelizmente eu e a grande maioria não podemos viver nossa própria vida livremente, pois vivemos sob as leis da plutocracia nesse mundo corrompido, talvez esse sonho venha a se realizar no mundo espiritual mas até lá, temos que dançar conforme a música por pouco ou nada…

 

Pela nação, pelo povo!

Vivemos numa nação arrasada devido à incompetência do nosso desgoverno atual e dos anteriores, nosso povo perdeu o orgulho de ser brasileiro. O pouco de orgulho que ainda resta são por região, sulista, Paulista, Nordestino, etc. Esquecem o fato de serem brasileiros abrindo espaço para a dominação dos neoconservadores e liberais-libertários. Eu sonho com o dia que o orgulho brasileiro virá à tona, que os cidadãos de bem vivam em paz onde haja respeito mútuo como verdadeiros compatriotas. Pode ser uma ilusão distante, mas sempre é bom sonhar com um dia assim para o nosso grande país.

Nossa nação levantará dos escombros, deixará esse passado de desunião e calamidade provocado pela praga capitalista-neomarxista e voltará a ser grande, soberano e com o povo mais unido do que nunca. Precisamos de um líder que trilhe esse caminho, que mostre o verdadeiro significado de camaradagem e que tenha pulso firme com os inimigos da nossa grande pátria mãe.

Mencionei o orgulho dos separatistas e a importância do orgulho de ser brasileiro, posso ter deixado a entender certo repudio a cultura dos estados e o meu desrespeito aos cidadãos das designadas regiões. Posso afirmar que não, eu respeito à cultura dos estados brasileiros e principalmente o orgulho dos meus compatriotas de suas regiões e culturas (pois afinal o Brasil é formado por diferentes culturas). Não quero acabar com isso, apenas devemos colocar o nosso orgulho de ser brasileiro acima de tudo…

Algumas vezes somos ridicularizados por não termos uma boa cultura, educação de qualidade, poder militar forte, etc. Bom se tratando de poder militar o nosso exército mostrou muito bem que aguentamos um confronto e temos os heróis da força expedicionária brasileira que não me deixa mentir (o que acontece, é que os políticos entreguistas não valorizam as forças armadas). Se tratando de cultura e educação praticamente nulas, isso é resultado de governos que não querem um povo, esperto e forte do ponto de vista intelectual para acabar com os seus planos… Pois é mais benéfico para a plutocracia brasileira lidar com um povo burro e desunido do que ao contrário.

E além disso, nosso povo está perdendo o tradicionalismo e com essa era pós-moderna e libertina estão destruindo a moral e a ética da nossa nação por total. Deixando propagar uma rixa entre homens e mulheres, a provável liberação e a descriminalização das drogas, entre outros fatores… Não apenas isso, mas vejo a aceitação social de todo esse mal, através da mídia e até mesmo desse governo por permitir e legalizar tais propostas prejudiciais ao nosso povo, eu vejo como o começo do fim da nossa pátria, assim como das demais nações… E é isso que não devemos permitir nunca! Jamais desistiremos de lutar a favor do Brasil e contra tudo que está o destruindo.

Para defender a família não precisa idolatrar um neocon

Não é necessário ser um defensor ferrenho de Jair Bolsonaro e neoconservadores em geral para defender a família. Até porque a família defendida pelos neocons é a que serve a plutocracia nacional fantoche da judiaria mundial. A base familiar só pode ser sustentada se estiver conectada a um coletivismo e não ao  individualismo. Portanto, ela não  coexiste com o liberalismo.

Compreendendo o nacionalismo

Acompanhar as forças armadas, instituições governamentais, cantar o hino e hastear a bandeira algumas vezes não te faz nacionalista. Nacionalista  é ser consciente do que acontece no seu país, prezar pela autonomia e desenvolvimento do mesmo, lutar pelo bem-estar e educação do seu povo. Nacionalismo nunca e em hipótese alguma se posicionou contra um povo, muito pelo contrário… É justamente o nacionalismo “malvado” que preza pelo apoio e amizade entre os vários povos e que cada um tenha em mente a importância de suas culturas, etnias, crenças e o valor do estado nacional. Nacionalismo nunca foi menosprezo e aversão a outros povos como pregam os comunistas libertários e neoconservadores. Por fim e que fique bem claro, nacionalismo é a valorização da cultura do país, preza pela preservação das identidades étnicas e luta por um estado nacional soberano. Nacionalismo é unidade, não heterogeneidade!

Para que serve as privatizações

Para que servem as privatizações?

Os liberais dizem que com isso vão resolver os problemas da nação, que vamos ingressar no primeiro mundo e que para isso o Estado deve ser o menor possível e que tudo que é estatal deve ser privatizado.

Privatizações é um método que servem para transferir boa parte do patrimônio publico ou praticamente tudo para uma minoria elitista e fies representantes do Sistema Financeiro Internacional. Criam vários rombos por causa dos desvios de dinheiro, por causa disso surgem diversas crises que ainda são pagas com dinheiro público o que acaba desvalorizando a moeda local. É um verdadeiro assalto a pátria, feita descaradamente as custas da nação enquanto a imprensa podre bate palmas e inventa mil e uma desculpas (como disse o Dr. Enéas: “dai a propaganda gigantesca a favor do Estado Mínimo”).

Destruído o estado, segue-se o esfacelamento e o desmembramento da nação, fazendo com que o povo não acredite em nada que seja nacional, que perca sua autoestima , que tenha vergonha de sua pátria,  a desvalorização das forças armadas e a subordinação da agricultura, etc. A plutocracia responsável por tudo isso e a mídia cúmplice, ainda incentivam a luta de classes que coloca o povo um contra o outro.

Tudo orquestrado pelos senhores do mundo, com a desculpa de entrar para o Primeiro Mundo, o que estão fazendo na realidade é destruir as indústrias nacionais. Esta é a verdade sobre o projeto mundialista que a imprensa podre não mostra.

“Não existe Estado Máximo nem Estado Mínimo. Existe o Estado necessário”. Dr. Enéas

 

Dr. Enéas Carneira sobre o papel do estado

Dr. Enéas Carneiro sempre esteve à frente de seu tempo, com um uma linha de pensamento inexoravelmente idealista e realista. Prezava pelos valores morais, defendia a evolução do Brasil como potência e denunciava os donos do mundo sem temor.

O papel do estado como defendia Dr.Enéas Carneiro, deve sim cuidar de seu povo e impor o que é melhor para o equilíbrio e o desenvolvimento pleno da nação… o que hoje só é possível confrontando o entreguismo de mercado e os fantoches progressistas e neocons que se dizem nossos representantes.

“Cuidar dos mais pobres não é ser bonzinho; é simplesmente não ser estúpido”. – Enéas Carneiro